SARNA DEMODÉCICA

SARNA DEMODÉCICA
SARNA DEMODÉCICA

 

  A sarna demodécica é causada pelo ácaro Demodex canis, este parasita está presente na pele de todos os cães, no folículo piloso, em pequena quantidade.

demodex

Ácaro Demodex

 

           Pesquisas recentes mostram que a mãe pode transmitir um defeito imunológico celular onde a qualidade dos linfócitos T (células de defesa) específicos para o combate a este ácaro está prejudicada. Ou seja, cães que recebem essa “herança” poderão desenvolver a sarna demodécica, causada pela reprodução e crescimento exagerado do Demodex canis.

 

           A demodiciose ou demodicidose (como é chamada a doença), geralmente acomete animais jovens/púberes, sendo algumas raças mais comumente acometidas: Shar Pei, Buldogue Inglês, Yorshire, Doberman, Pinscher, Dachshund, Cocker Spaniel, Pit Bull, Bull Terrier, Pastor Alemão, Boxer, Dálmata.  Ela pode se manifestar na forma localizada ou generalizada.

           A sarna demodécica pode se manifestar devido a vários fatores, como estresse, cio, gestação, doenças, como o câncer e até problemas comportamentais, como a ansiedade da separação. Animais de rua, que passam sede, fome e sofrem com o abandono, são mais susceptíveis se tiverem esse defeito genético.

           A sarna demodécica pode se desenvolver em cães jovens (demodicose juvenil) e na fase adulta, se a imunidade estiver comprometida.

 

Sintomas

 

           Os sinais clínicos geralmente encontrados são: alopecia (perdas de pelo), eritema (pele avermelhada) ou hiperpigmentação (escurecimento da pele), hiperqueratose (espessamento da pele), descamação de pele que leva a formação escamas ou caspas.

           Quando localizada, apresenta áreas de alopecia ao redor dos olhos, ao redor da boca e nas extremidades dos membros, principalmente membros anteriores.

 

demodecica01

demodecica02

 

 

 

 

 

 

 

           Na forma generalizada pode acometer várias regiões do corpo do animal, cabeça, pernas e tronco. Sendo que esta forma pode aparecer tardiamente em cães adultos ou idosos.

 

 

demodecica04demodecica03

 

          

 

 

 

 

           Este tipo de sarna em geral não é pruriginosa (ou seja, não causa coceira), ou apresenta prurido leve.  Algumas alterações secundárias a Demodicidose podem estar presentes como, seborreia, hiperqueratose (pele fica grossa), hiperpigmanetação, foliculite, infecção bacteriana e fúngica, neste caso pode ocorrer prurido.

 

Diagnóstico

 

           O diagnóstico é obtido através de realização de um raspado de pele, onde, com ajuda do microscópio, é possível a visualização do ácaro causador. Em alguns casos crônicos, com alterações secundárias graves, ou na raça Shar Pei, o diagnóstico definitivo só é possível através da realização de biópsia da pele do animal.

 

Tratamento

 

           Com relação ao tratamento, por se tratar de uma doença que tem por base alteração genética e que pode ser predisposta por fatores externos como o estresse, o tratamento definitivo pode não ser possível, principalmente na forma generalizada. A forma localizada responde bem ao controle.

           O tratamento para Demodicidose em geral dura de 2-3 meses. Quando o animal apresenta infecções fúngicas ou bacterianas secundárias, pode ser necessário uso de outros medicamentos para controle das infecções. Independente do tratamento prescrito, ele só deve ser interrompido, após obtenção de 3 raspados de pele negativos para o ácaro.

           Cães com sarna demodécica não devem ser utilizados para reprodução, para evitar disseminação do problema.

           A castração das fêmeas é indicada, pois o cio e o parto podem ser fatores desencadeantes para o surgimento da sarna demodécica.

           Cães que manifestaram Demodicidose generalizada na fase adulta ou idosa, devem passar por exames mais detalhados, em busca de doenças debilitantes, como neoplasias, doenças imunossupressoras ou metabólicas.

          Lembrando que os medicamentos utilizados para o tratamento da Demodicidose, podem apresentar efeitos colaterais, sendo que algumas raças são mais predispostas a tais reações. Portanto, o tratamento deve SEMPRE ser prescrito e acompanhado pelo Médico Veterinário.

Fonte: CliniPet – Clínica Veterinária

 

           Uma pesquisa recente (2015) (www.parasitesanvectors.com/content/8/1/187), porém, realizada ao longo de três meses por especialistas de diversos países, aponta o Bravecto™ como alternativa para que a sarna demodécica não se manifeste.

 

           O estudo envolveu 16 cães diagnosticados com sarna demodécica generalizada, que foram divididos em dois grupos. Antes do início do tratamento foi feita raspagem de pele, em cinco locais, e contagem de ácaros. Um dos grupos foi tratado com comprimidos mastigáveis Bravecto™, que atua por 120 dias, e o outro com spot antipulgas e carrapatos.

           Depois de 120 dias os pesquisadores repetiram a raspagem na pele dos cães e constataram que o número de ácaros Demodex canis foi reduzido em 99,8% no 28º dia após a medicação, e nos 56º e 94º dia haviam desaparecido.

           Os cães tratados com o spot antipulgas e carrapatos também obtiveram melhora, mas na terceira aplicação – o spot é aplicado a cada 28 dias – a eficácia foi diminuindo, ou seja, ainda havia ácaros na pele.

  • Os trabalhos e estudos demonstrando a eficácia do uso do Bravecto para sarna demodécica foram realizados internacionalmente, porém a indicação ainda não está aprovada pelo MAPA.

           Em alguns casos o tratamento é eficaz e em outros não, portanto, o acompanhamento com o veterinário SEMPRE é muito importante.

Add Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com