OBESIDADE EM CÃES

OBESIDADE EM CÃES
OBESIDADE EM CÃES

Causas da obesidade

  • Má alimentação: o excesso e o fornecimento de petiscos e comidas caseiras, um biscoito tem cerca de 90 calorias.
  • Sedentarismo: os cães e seus donos estão vivendo cada vez mais confinados, não fazem exercícios.
  • Castração: cães castrados apresentam o dobro da probabilidade de se tornarem obesos. Nas fêmeas é mais frequente, com a castração elas deixam de produzir hormônios que atuam na inibição do apetite e consequentemente comem mais do que o necessário, nos machos, a retirada dos testículos interrompe a produção de hormônios andrógenos, importantes para estimular o cão a movimentar-se.
  • Predisposição genética: cães de algumas raças, como Labrador, Golden Retriever, Collie, Cocker, Beagle, Dachshund tem predisposição a engordar. Há alterações nos hormônios que controlam a saciedade, como a Leptina, produzida pelas células adiposas. Cães obesos tem resistência à substância, ingerindo maior quantidade de alimentos.

Como identificar o cão obeso

Dificuldade de palpar as costelas, ausência de cintura visível, dificuldade para caminhar, respiração curta e ofegante, sonolência. A obesidade diminui o tempo de vida dos cães.

tabela-peso-ideal

Complicações da obesidade

Diminui o tempo de vida dos cães

  • Doenças osteo-articulares: predispõe a problemas ósseos em todas as idades, cães filhotes de raças grandes podem desenvolver Osteodistrofia Hipertrófica (quando os ossos crescem excessivamente), além de agravar sintomas de *displasia coxofemoral (alteração do encaixe do osso da perna na bacia), artrite, pois a obesidade aumenta a força sobre as articulações, podendo levar a destruição da cartilagem. Cães obesos podem agravar as doenças de coluna (disco intervertebral), piorando o prognóstico. Como consequência ocorre um círculo vicioso porque cães com dor não se movimentam a restrição de exercício piora a obesidade.
  • Distúrbios Circulatórios: a obesidade aumenta o risco de insuficiência cardíaca congestiva por aumentar a necessidade de irrigação sanguínea da massa gordurosa desenvolvida.
  • Problemas Respiratórios Crônicos: ocorre diminuição de espaço dentro do tórax devido ao depósito de gordura, como consequência o pulmão não consegue expandir, reduzindo a capacidade respiratória, além disso a gordura da região abdominal empurra o diafragma (músculo entre o tórax e o abdômen), o que prejudica ainda mais a respiração.
  • Diabete Mellitus: cães obesos podem desenvolver resistência à insulina, o que pode agravar a intolerância à glicose em cães já predispostos à Diabete.
  • Hipertensão
  • Problemas Dermatológicos: dermatite de dobras cutâneas, o excesso de pele forma dobras que podem ficar abafadas, a umidade e o calor predispõe ao aparecimento de fungos e bactérias. Seborréia e dermatite por Malassezia (fungo) são muito comuns em cães obesos.
  • Risco cirúrgico e anestésico aumentado: pode haver super dosagem de medicação e eliminação lenta devido ao depósito de drogas lipossolúveis na gordura corporal, com isso a anestesia se prolonga por mais tempo. As respostas compensatórias a situações como queda de pressão, falta de oxigênio, hemorragias, entre outras são muito mais lentas no cão idoso.
  • Hiperlipidemia: aumento de triglicerídeos e colesterol no sangue, predispondo a alterações graves, inclusive Pancreatite (inflamação do pâncreas).
  • Lipidose Hepática: acúmulo de gordura no fígado, o que causa uma redução grave da função hepática.

 

O cão obeso deve passar por exame clínico completo e exames laboratoriais, inclusive hormonais para diagnosticar a causa da obesidade e iniciar o tratamento para redução do peso.

 

 

 

Add Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com