Insuficiência Renal em Gatos

 

Função dos rins

Os rins são órgãos muito importantes porque filtram o sangue, retiram da corrente sanguínea os resíduos que devem ser excretados pela urina. Quando não conseguem mais fazer esta função estes resíduos tóxicos acumulam no organismo e começam a causar alterações que comprometem muito a vida do animal. Os rins também são responsáveis por controlar os eletrólitos, o ph e a hidratação. Produzem eritropoietina, que estuimula a medula óssea a produzir glóbulos vermelhos.

Animais afetados

Gatos de qualquer idade, raça ou sexo podem ser afetados, entretanto os animais mais idosos desenvolvem a doença com mais frequência. Normalmente por volta dos 9  anos as alterações começam a ficar mais evidentes. Algumas raças como os  persas e abissínios apresentam predisposição genética para alterações renais, portanto devem ser acompanhados desde cedo. Estes animais devem ser afastados da reprodução.

Sintomas

O gato pode apresentar cansaço, falta de apetite e perda de peso, vômitos, diarréia, aumento da ingestão de água. Procura beber água em lugares pouco habituais, aumento da quantidade de urina na caixa de areia, feridas na boca, mal hálito e fraqueza. Se o gato tem pressão alta, pode ocorrer perda de visão repentina. Infecções do trato urinário também são muito comuns. Infelizmente quando aparecem os primeiros sintomas significa que os rins já perderam 75% da sua capacidade funcional. O quadro é progressivo e irreversével. Portanto é muito importante fazer o diagnóstico precoce da doença, antes que apareçam os sintomas.

Causa

A causa mais comum da insuficiência renal crônica é o envelhecimento natural. Há certas condições clínicas que tendem a resultar em insuficiência renal crônica, tais como, doença renal herdada ou congênita, toxinas nos rins, alta contagem de cálcio no sangue, e a glomerulonefrite, em que se verifica inflamação do Glomérulo (unidade funcional do rim). Outras doenças associadas à insuficiência renal incluem: infecção renal, policistite, pedras no rim, peritonite infecciosa dos felinos, obstrução urinária crônica e câncer. Além destas, existe um problema chamado amiloidose renal, em que há uma distribuição de proteínas dentro do rim, que pode levar a um quadro de insuficiência renal. O tratamento, pode trazer alívio aos sintomas e melhorar a vida do gato por algum tempo. Um gato com insuficiência renal crônica pode viver de algumas semanas a alguns anos com a doença, dependendo da gravidade e do estágio de evolução da doença.

Diagnóstico

Feito através do exame clínico, exames laboratoriais como hemograma, bioquímica, análise da urina e exames complementares como radiografia e ultrassonografia. Também pode ser feita biópsia dos rins.

Prognóstico

O prognóstico para a insuficiência renal crônica é ruim, já que a doença é progressiva e irreversível. O gato tem uma expectativa de vida que varia de alguns meses a alguns anos. Alguns animais apresentam complicações graves que não podem ser revertidas mesmo com tratamento intensivo.

Tratamento

Gatos com insuficiência renal crônica muito grave necessitam de internação para tratamento com soro intravenoso, suporte nutricional e medicamentos. Manifestações menos graves da doença podem ser tratadas em casa com medicamentos e dieta apropriada. O veterinário pode recomendar determinados tipos de ração para gatos, que só estão disponíveis com prescrição médica que contém baixos níveis de proteínas, fósforo e sódio e devem, portanto, reduzir a sobrecarga sobre os rins. Outros medicamentos são indicados para controlar alguns sintomas da insuficiência renal, tais como, náusea, inapetência, desequilíbrio mineral e eletrolítico, deficiências hormonais e pressão sanguínea alta. É importante que haja água fresca todo o tempo ao alcance dos gatos afetados pela doença. O veterinário pode ensinar ao proprietário como administrar soro suplementar sob a pele, na chamada terapia líquida subcutânea. Este método é geralmente recomendado para animais com insuficiência renal crônica de moderada a grave. Recomenda-se a repetição de exames regularmente para monitorar a doença. O número de visitas ao médico veterinário irá variar de acordo com a gravidade da doença do gato e de sua resposta ao tratamento.

Prevenção

Gatos que sejam suspeitos de predisposição genética para o desenvolvimento de doença renal não devem ser cruzados. Gatos adultos e idosos devem ser monitorados para a detecção de sintomas anormais e devem receber atenção médica caso surjam sinais clínicos.

Fonte: Renalvet

 

Add Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com