HIPERTENSÃO

HIPERTENSÃO
HIPERTENSÃO

A hipertensão arterial é, normalmente, silenciosa e na maioria das vezes assintomática.

Sintomas

Eventualmente podem ocorrer dores de cabeça na região posterior da nuca ao levantar, que normalmente desparece ao longo do dia, este sintoma pode levar a alteração do comportamento do cão sem um motivo aparente. Pode ocorrer tontura, cansaço com os exercícios, falta de ar, redução da visão e algumas vezes, sangramento nasal.

Nas crises hipertensivas podem ocorrer sangramento nasal, andar em círculos, desorientação, convulsão, pupilas dilatadas e cegueira repentina. Quando ocorrer consulte imediatamente.

Com o envelhecimento, os cães podem ter uma maior incidência de hipertensão. Quando a hipertensão ocorre em animais jovens geralmente está associada a uma doença reversível.

Fatores agravantes como alimentação não balanceada, stress, sal, gorduras saturadas, fumo (cães que convivem com fumantes) e drogas que aumentam a pressão, devem ser sempre investigadas.

Dependendo do tempo de duração da hipertensão, podem ocorrer lesões em órgãos importantes, como rins, coração, cérebro e olhos.

Cães obesos apresentam maior propensão a hipertensão.

 

Classificação

A hipertensão induzida por stress é acentuadamente sistólica, ou seja, ocorre um aumento do primeiro parâmetro (primeiro número 120/80)

A hipertensão pode ser primária ou hereditária, muito comum em pessoas, mas não existem dados suficientes que comprovem a incidência deste tipo de hipertensão em cães, devido ao fato de que a mensuração da pressão arterial não é um exame realizado na rotina clínica veterinária.

A hipertensão secundária ou que ocorre devido a doenças crônicas, como nefropatias (doenças renais), diabetes mellitus, obesidade, trauma no sistema nervoso central, hipertireoidismo entre outras doenças.

As doenças associadas com a hipertensão secundária são: doença renal 90%, hipertireoidismo 87%, diabetes mellitus 46%, hiperadrenocorticismo 86%. A doença cardíaca tem alta incidência de aumento da pressão diastólica (aumento do segundo parâmetro ou número 120/80), principalmente nas fases precoces da doença. A dor crônica e a obesidade também podem causar hipertensão.

 

Como diagnosticar a hipertensão

Sempre que os sintomas forem observados, consulte.

Descobrir a causa da pressão elevada é fundamental, geralmente está associada a uma doença crônica. Além da medição da pressão arterial, alguns exames são necessários.

Ao contrário dos humanos, medir a pressão em cães e gatos exige equipamentos e condições adequadas para que a mensuração seja correta. Existem aparelhos de pressão específicos para cães e gatos (Oscilométricos, Doppler), várias mensurações devem ser feitas devido ao stress que ocorre no momento do exame, que pode levar a um aumento da pressão arterial. O mais indicado é medir com frequência, sempre que existir uma suspeita.

Método Oscilométrico


            pressao

 

Método Doppler

        doplerpressao

           Devem ser feitas no mínimo 5 leituras e uma média deve ser estabelecida.

A pressão arterial dos cães deve ser em média 133/75

Classificação da Pressão Arterial baseada no risco aos órgãos Alvo

Categoria de risco Pressão Sistólica Pressão Diastólica

Risco aos órgãos alvo

I < 150 < 95 Mínimo
II > 150 > 95 Ligeiro
III > 160 > 100 Moderado
IV > 180 > 120 Severo

 

Lesões aos órgãos alvo causadas pela hipertensão

Coração

  • Hipertrofia do ventrículo esquerdo
  • Disfunção diastólica
  • Dilatação do átrio esquerdo
  • Sopros, ruídos de galope
  • Arritmias
  • Cardiomiopatias
  • Hipertireoidismo

Olhos

  • Cegueira súbita ou de progressão rápida, midríase ou dilatação da pupila bilateral.
  • Hifema (sangue na câmara anterior do olho) uni ou bilateral, anisocoria (pupilas de tamanhos diferentes), alterações na cor da íris.
  • Retinopatia hipertensiva
  • Coroidopatia hipertensiva
  • Neuropatia óptica hipertensiva

Rins

  • Retensão de sódio e água
  • Expansão do volume sanguíneo
  • Ativação do SRAA (sistema renina angotensina aldosterona) que promove uma série de medidas que com o tempo podem causar ainda mais lesões renais.
  • Hipertensão glomerular
  • Proteinúria

Cérebro

  • Encefalopatia hipertensiva, causando edema cerebral e lesões vasculares.
  • Abatimento, convulsões, desorientação, alteração súbita do estado mental.
  • Distúrbios do equilíbrio

Tratamento

O tratamento da hipertensão é muito parecido com o dos humanos, feito à base de medicamentos que devem ser tomados diariamente, além de, exercícios físicos, caso necessário, estes, devem ser feitos com moderação e orientação.

O tratamento das crises hipertensivas é sempre urgência, pois o aumento acentuado da pressão sistêmica pode causar lesões graves e irreversíveis em órgãos importantes, como o coração, rins, cérebro e olhos.

Add Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com