DIABETE MELLITUS EM GATOS

diabetes-no-gato2

A diabete é uma das principais doenças endócrinas dos gatos. A doença ocorre devido a uma destruição de algumas células do pâncreas responsáveis por secretar insulina (Diabete tipo I), mais comum em cães ou devido a resistência insulínica (Diabete tipo II), existem algumas alterações específicas, como a obesidade, o uso de corticóides e progestágenos (anticoncepcionais), que dificultam a ação da insulina no organismo, este tipo é o mais comum nos gatos.

 

Sintomas: o gato começa a beber muita água e fazer muito xixi, a urina é normalmente clara, começa a comer muito, mas mesmo assim emagrece. Estes sintomas ocorrem porque a glicose no sangue esta muito alta, mas devido a falta de insulina, a glicose não consegue entrar nas céulas. A insulina funciona como se fosse uma chave que abre a porta para a glicose entrar na célula e suprir suas necessidades de energia. Caso a diabete não seja tratada ocorre um quadro muito grave chamado de cetoacidose diabética, que pode levar a óbito em poucas horas.

 

Tratamento: requer muita dedicação do proprietário, disponibilidade de tempo, envolvimento financeiro por meses ou pelo resto da vida do gato. O tratamento é feito através da administração de insulina a cada 12h, controle da dieta e acompanhamento periódico através de exames clínicos e laboratoriais para evitar complicações secundárias.

A insulina deve ser aplicada com muito cuidado, a hiperglicemia (glicose alta no sangue) que ocorre devido a diabete causa problemas a longo prazo, mas a hipoglicemia (glicose baixa no sangue) causada por uma super dosagem de insulina pode causar complicações graves, convulsões e a morte em poucas horas, portanto, qualquer mudança na dose, horário ou caso o animal apresente sintomas como tonturas, abatimento, falta de apetite,  tudo deve ser sempre relatado ao veterinário.

O segredo de manter um animal diabético bem controlado é estabelecer uma rotina nos horários e na alimentação, a quantidade deve ser sempre a mesma, bem como a ração, que deve ser específica com baixo teor de carboidratos, existem rações terapêuticas  para o tratamento da diebate, Royal Cannin Diabetic e Obesity, Hill’s w/d e r/d e Guabi Natural Diabetic.

Em alguns casos pode ocorrer a remissão da diabete quando esta for causada por resistência insulínica, a partir do momento que se retira o fator responsável pela resistência, no caso da obesidade, uso de medicamentos corticóides ou progestágenos por exemplo. Por este motivo é muito importante o acompanhamento frequente para que se possa reajustar a dose de insulina ou até mesmo tirá-la sempre que o animal apresentar sintomas de hipoglicemia. Portanto, o proprietário deve estar atento a qualquer alteração, uma parceria para  resto da vida.

Um gato com diabete não complicada possui um ótimo prognóstico se o proprietário estiver disposto e comprometido com o seu tratamento.

Os gatos são relativamente livres de complicações crônicas do diabetes. Diferente dos cães, eles não desenvolvem a catarata diabética. Eles também não apresentam doença vascular periférica, a qual causa necrose e ulceração das extremidades, como ocorre em humanos. Contudo, duas complicações crônicas são possíveis: a neuropatia e a nefropatia diabética.

A neuropatia diabética causa alteração na forma de caminhar do gato, ele passa a pisar no chão com toda a pata dos membros posteriores e uma maior porção da pata dos membros anteriores. Apresenta fraqueza dos membros e reflexos reduzidos. O controle adequado da glicemia durante vários meses geralmente resulta em melhora gradativa quase próximo ao normal na maioria dos casos.

NEUROGATO

nefropatia pode ocorrer, e sua detecção é complicada pois os sintomas e alterações laboratoriais são muito parecidos ao da doença renal que é muito comum em gatos idosos. O tratamento neste caso deve ser direcionado também para a insuficiência renal.

Como evitar a diabete: O controle de peso é fundamental, gatos castrados possuem tendência a engordar, procure utilizar rações específicas que façam um bom controle de peso. Quer saber se o seu gato está muito gordo, olhe o ânus, se estiver sujo é porque ele não está mais alcançando para se lamber, mas acima de 6kg o risco é maior. Estimule o seu gato a fazer exercício. Brinque com ele pelo menos 30 min por dia, faça ele correr pela casa. Coloque pratinhos de comida em locais mais altos onde ele precise subir e descer para se alimentar. Após os 8 anos os cuidados devem ser redobrados. Evite usar corticóides sem orientação, principalmente a longo prazo. Não use progestágenos (anticoncepcionais), além de predispor a diabete eles causam tumores de mama e infecções de útero.

A diabete, muitas vezes, não pode ser evitada porque ocorre também por predisposição genética, infecções, intoxicações entre outras causas. Mas prevenir o que for possível é sempre a melhor forma de evitar a doença.

Gatos da raça siamês, machos, castrados, com mais de 6kg, acima dos 8 anos apresentam grande predisposição a diabete, portanto o ideal é não usar medicamentos que aumentem ainda mais esta predisposição.

Qualquer dúvida escreva, tentaremos responder o mais rápido possível.

 

2 Comments

  • diabetes mellitus poliúria Posted 30 de julho de 2017 11:29 pm

    Fui em varios sites na internet para pesquisar sobre isso, li varios sites e nenhum se compara a esse
    aqui, seu Artigo e exelente, muito bem feito e explicativo,
    adorei. obrigado pelas informaçoes.
    desculpe o portugues estou fora do BR a anos.

    Responder
    • caoecia petshop Posted 31 de julho de 2017 11:25 am

      Bom dia. Obrigada.

      Responder

Add Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com