ADESTRAMENTO, PRINCÍPIOS BÁSICOS  

ADESTRAMENTO, PRINCÍPIOS BÁSICOS  
ADESTRAMENTO, PRINCÍPIOS BÁSICOS   

 

 

Princípios fundamentais do adestramento

  • Paciência é fundamental para o sucesso do adestramento.
  • Punições tardias não fazem sentido para o cão.
  • Para se inibir um comportamento indesejado devemos induzi-lo várias vezes.
  • O que fazer para que o cão se comporte na sua ausência.
  • As técnicas corretas para se recompensar ou punir comportamentos.

 

Paciência

           A paciência é fundamental para o adestramento. Nunca adestre quando estiver aborrecido ou emocionalmente desequilibrado, porque qualquer fato negativo que o cão associar ao treinamento vai dificultar ainda mais o seu aprendizado.

 

Punições Tardias

          O cão só vai entender a punição quando ela for dada no exato momento em que ele estiver fazendo algo errado ou se comportando mal, caso tenha passado um minuto, não adianta punir, ele não vai entender ou associar com algo que tenha feito.

Os cães fazem muitas atividades o dia todo, então punir, porque ele destruiu algo, depois de muito tempo, não vai adiantar. Claro que ele vai ficar com medo porque está levando bronca, mas ele não sabe porque, então, não adianta brigar com ele.

As punições tardias só diminuem a confiança do cão no seu dono e aumentam a ansiedade. A punição deve ser dada no momento em que ele começa a fazer ou está fazendo algo errado, somente assim ele vai entender, mas também são as repetições que irão fazer ele assimilar e aprender que não deve fazer ou se comportar mal.

 

Associações corretas dependem de repetição

            Para que o cão entenda que não deve ter determinado comportamento, devemos induzir este comportamento, para que possamos recompensar ou punir. Somente através das repetições o cão vai entender o que deve ou não fazer. Por exemplo, cães que gostam de subir no sofá, primeiro você precisa fazer ele subir e neste exato momento punir, depois de várias repetições, quando ele não subir mais, mesmo quando chamado, este é o momento de recompensar. Outro exemplo, um cão que fica pulando, quando você chega, para inibir este comportamento você precisa chamar, fazer festa e estimular que ele pule, quando ele pular, você dá a punição, com um não alto e forte. Depois estimula de novo, várias vezes, até o cão, mesmo quando estimulado, não pule mais, este é o momento de recompensar com carinho ou petisco.

 

As punições 

Quando você pune o seu cão verbalmente ou batendo com o jornal no chão ele vai entender que não deve se comportar mal apenas quando você está por perto, mas não vai entender que não deve fazer o que fez de errado quando você não estiver. Porque a punição fica claramente associada a você, portanto, se queremos que o cão se comporte sempre bem, mesmo na nossa ausência, devemos despersonalizar a punição.

 

Como despersonalizar a punição

Para despersonalizar a punição é necessário que o cão não perceba que você é o responsável pela punição. Um exemplo, quando o cão está fazendo xixi no lugar errado, você deve pegar alguma coisa que faça barulho e jogar no chão, sem que ele perceba que foi você que jogou, todo um planejamento é necessário porque o cão não pode perceber a sua presença. Desta forma, depois de muitas repetições, o cão vai evitar o mau comportamento, mesmo na sua ausência, pois lembrará do susto provocado pelo objeto sendo jogado no chão.

 

Cuidado para não diminuir o efeito das punições

Quando o cão faz alguma coisa de errado, você dá uma bronca nele suave e quando ele insiste, você aumenta a intensidade da bronca, gritando mais alto. A punição deve ser eficiente desde a primeira vez, caso isto não aconteça, a punição vai perdendo o seu efeito. Nenhuma punição deve fazer com que o cão fique com medo, quando isto ocorre significa que o cão está deixando de confiar em você.

 

Saiba alternar recompensa e punição

Muito importante que a punição acabe no exato momento em que o cão para de fazer o que estava fazendo de errado, este é o momento de recompensar. Devemos ter muito cuidado ao alternar punição e recompensa, o cão deve entender exatamente que a punição está associada ao mau comportamento e a recompensa ao bom comportamento. Um exemplo, para ensinar o cão a parar de morder, você deve provocar, colocar a mão em uma posição que ele possa morder, quando ele o fizer, puna, provoque novamente e quando ele morder, puna novamente. Quando você colocar a mão e ele não morder, mesmo sendo estimulado, este é o momento de recompensar. Desta forma ele vai entender o que é certo e o que é errado, mas isto vai depender da forma como você alterna recompensa e punição. Cuidado quando você induz o mau comportamento, o cão pode achar que primeiro precisa fazer o que está errado para depois parar e ser recompensado. Você deve recompensar sempre que o cão recusa a fazer o que está errado, mesmo sendo induzido e não somente após ele fazer o que está errado, para depois parar e fazer o que está certo. Caso contrário ele vai pensar que primeiro deve se comportar mal para depois se comportar bem e ser recompensado.

Outro exemplo, quando o cão está roendo um móvel, jogue um objeto no chão para que ele se assuste, mas não elogie se ele parar, caso você elogie nesta situação, ele vai entender que precisa roer o móvel para conseguir a sua atenção. Para ensinar a não roer, temos que induzir, coloque brinquedos próximo do móvel, caso ele opte pelos brinquedos você recompensa, caso ele opte por roer o móvel você pune. A punição serve para que o cão recuse a fazer algo, quando ele não fizer, deve ser muito elogiado e recompensado.

Muito cuidado com punições severas demais, o cão pode ficar com medo de fazer o errado, quando induzido e você não conseguirá um número suficiente de repetições para o aprendizado.

Devemos estimular o cão a fazer associações, entender que determinados objetos que são usados para assustá-lo na hora do treinamento ou a palavra NÃO significa que ele não vai ser recompensado.

Devemos tentar entender também o que está estimulando determinado comportamento, por exemplo, um filhote que está trocando a dentição, pode estar roendo a mesa porque isto alivia a dor que ele está sentindo devido a troca dos dentes. Portanto, para se mudar este comportamento, precisamos antes eliminar as recompensas que este comportamento trás e tentar substituí-las, somente assim conseguiremos educar melhor o cão. Por exemplo, se oferecermos água gelada ou um brinquedo gelado para o filhote que está trocando a dentição, isto levará a um alívio maior da dor do que roer a mesa. Outra alternativa é passar um produto repelente específico, com gosto amargo, na mesa, assim o gosto desagradável que ele irá sentir quando mastigar, será a punição, desta forma você também despersonaliza a punição, evitando que o cão volte a roer a mesa na sua ausência.

Existem várias formas de punição, o spray de água, por exemplo, você pode usar para punir, mas digamos que o seu cão não dê importância a isto e mesmo assim continua fazendo o que você não quer, neste caso, para ele associar o spray com punição basta condicioná-lo. Coloque algo que ele gosta no chão para ele comer, cada vez que ele tentar pegar você espirra água nele e diz não, com as repetições ele vai associar o spray com o não e você pode utilizá-lo como objeto de punição.

 

Cuidado, bronca pode ser recompensa

Cuidado, muitas vezes, a bronca pode ser uma recompensa, porque quando você briga com o seu cão você está dando atenção. Alguns cães podem gostar de receber bronca, porque assim conseguem a sua atenção. Muito difícil identificar o problema quando o cão só faz algo para chamar a atenção. Por este motivo a nossa atenção deve ser o menos perceptível possível no momento da punição. Nunca arrume ou limpe a bagunça que o cão fez na frente dele, isto já é considerado por eles como atenção.

 

Ignorar é uma ótima punição

A maioria dos problemas serão resolvidos se você aprender a ignorar, pois, muitas vezes, o cão só quer a sua atenção. Não puna e se arrependa, se fizer isto ele vai achar que deve se comportar mal para receber sua atenção.

 

Relembrando

  • A paciência e o treinamento gradual asseguram um ótimo aprendizado
  • As punições devem ser dadas no momento em que o cão está se comportando mal, punições tardias não tem efeito.
  • Induzir os comportamentos desagradáveis para punir, as repetições controlam e eliminam o mau comportamento.
  • Despersonalize a punição, ou seja, o cão não deve ligar a punição a pessoa, para que ele não se comporte mal na sua ausência.
  • Não aumente a punição gradativamente, isto fará com que ela perca a eficácia, deve-se punir corretamente desde a primeira vez.
  • Sempre associe a punição ao fracasso, ou seja, impeça que a vontade do cão seja realizada.
  • A melhor recompensa é o sucesso e a punição mais efetiva é o fracasso. Repetidas broncas podem ser consideradas recompensa se o seu cão só estiver buscando a sua atenção.

 

Fonte: Livro Adestramento Inteligente, Alexandre Rossi

 

 

 

 

2 Comments

  • Monique Posted 13 de janeiro de 2017 7:52 pm

    Qual o melhor petisco para o cachorro filhote? Encontrei vários no pet shop fiquei em dúvida.

    Responder
    • caoecia petshop Posted 13 de janeiro de 2017 9:03 pm

      Boa tarde Monique. Difícil dizer, independente do petisco, sempre que forem dados, devemos observar possíveis alterações nas fezes, caso ocorram, devemos suspender e mudar o petisco. Prefiro os tipo bifinhos.

      Responder

Add Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com